Convidado 2022

Engª. Ana Saramago Matos

By março 31, 2021 março 31st, 2022 No Comments

Ana Reis Saramago Matos nasceu em 1972 e viveu sempre rodeada de gente politizada – “tinha as esquerdas todas em casa”. É filha de Violante Saramago Matos, dirigente estudantil presa no 1.º de Maio de 1973. “Aprendi a andar na prisão em Caxias, entre os meus 15 e 18 meses, enquanto lá estive com a minha mãe. Era a única criança em Caxias. Adoraria ter essa memória, não a tenho.” Mas há relatos. “Aurora Rodrigues e muitas outras presas costumavam dizer-me, pelas paredes das celas, ‘Força nas perninhas, Ana’.” Nela, a política exprime-se sobretudo através do seu espaço de arte contemporânea. Nem sempre foi assim. A diretora artística e curadora da Galeria das Salgadeiras estudou Engenharia Informática e trabalhou muito tempo em empresas tecnológicas. Há 18 anos, inaugurou a galeria com uma exposição da avó – “tinha de ser”.

Os avôs representam essa coisa maravilhosa que é a sabedoria. Tive a sorte de ter tido um avô sábio que, nas entrelinhas dos nossos encontros, me ia ensinando e transmitindo os seus valores, as suas preocupações, as suas convicções. A lê-lo e a escutá-lo, aprendi o que é a disciplina e o trabalho. Como ele me disse há muitos anos, a propósito do ofício de ser escritor, 90% é trabalho e 10% é inspiração. Aprendi o que é a dedicação às causas, Palestina, Chiapas, Timor, Sara Ocidental, entre tantas, e, no fundo, uma única: a defesa dos Direitos Humanos. Aprendi o que é o espírito de missão com este avô que, sem qualquer queixume ou sacrifício, percorreu a imensidão do mundo para falar e comunicar com milhares de pessoas de todas as idades, raças, religiões, com o compromisso de dar o seu contributo para que o mundo fosse um lugar melhor. E deu esse contributo com a palavra: a sua “arma”, a sua força! Sempre a palavra, o respeito por ela, com a consciência profunda de que há que usar a palavra certa em cada momento.

Deixe seu comentário