Participante 2021

Poeta, Escritor e Biólogo Mia Couto (a confirmar)

By janeiro 29, 2021 fevereiro 6th, 2021 No Comments

Mia Couto nasceu na cidade de Beira, capital da província de Sofala, em Moçambique. Adotou o seu pseudónimo porque tinha uma paixão por gatos. Com 14 anos de idade, teve alguns poemas publicados no jornal “Notícias da Beira” e três anos depois, em 1971, mudou-se para a cidade capital de Moçambique, Lourenço Marques (agora Maputo). Em 1983, publicou o seu primeiro livro de poesia, Raiz de Orvalho, que, segundo algumas interpretações, inclui poemas contra a propaganda marxista militante. Dois anos depois, demitiu-se da posição de diretor para continuar os estudos universitários na área de biologia.

Além de considerado um dos escritores mais importantes de Moçambique, é o escritor moçambicano mais traduzido. Em muitas das suas obras, Mia Couto tenta recriar a língua portuguesa com uma influência moçambicana, utilizando o léxico de várias regiões do país e produzindo um novo modelo de narrativa africana.

O júri do prémio reconheceu “a excepcional qualidade da escrita” de Mia Couto, que conjuga, “subtilmente, oralidade e narração literária e epistolar, contos, fábulas, sonhos e crenças, no seio da realidade histórica de Moçambique, no final do século XIX, na luta contra a colonização portuguesa”.

O seu novo livro, “Mapeador de Ausências” é um romance de grande fôlego cuja ação decorre no Moçambique pré e pós-independência. Dezenas de extraordinários personagens, tão ricos quanto diversos e complexos, e uma intriga que se vai desenrolando diante do leitor com tanto de rigor lógico quanto de inesperada surpresa, fazem deste romance uma das melhores obras do autor e um dos grandes livros do ano.

Mia Couto venceu o Prémio Jan Michalski de literatura 2020, pela edição francesa da trilogia As Areias do Imperador, publicada este ano, com tradução de Elisabeth Monteiro Rodrigues, anunciou a fundação suíça esta quarta-feira.

Recordamos que Mia Couto é detentor de vários prestigiados galardões literários, nomeadamente o Prémio Camões.

Deixe seu comentário